Publicado em Ano novo - reflexões, desejos de ano novo; ano novo; simples desejo; trilha sonora; justin, Reflexões de ano novo, Vida real

Tchau, 2017. Oi, 2018.

Atibaia, 18 de dezembro de 2017.

Ainda faltam 13 dias para o ano terminar, mas ando tão empolgada que já quero começar a agradecer desde já ao ano de 2017 por ter sido um dos mais especiais da minha vida!

Em janeiro, o Lu estava de férias e conseguimos nos planejar direitinho para passar uma semana com os meninos na praia, tirar uma semana para resolver pendências da casa e nos curtir por 5 dias inteiros: conhecemos novos restaurantes, almoçamos com tranquilidade, fomos ao cinema e a um day spa curtir a dádiva de termos nossos momentos juntos. Os meninos seguiram com saúde e nós, reabastecidos de amor.

Em fevereiro, comemoramos o primeiro ano de vida do Mimi no mesmo dia em que a Cris me chamou para tomar um café com ela para falar de trabalho. Naquele auspicioso 22, onde há um ano nascia o meu caçula, fui tomar um café e comer chocolate na Kopenhagen e saí de lá com uma proposta de emprego – como freelancer. Bem desconfiei daquele louvadeus pousado na cortina da sala; já era Deus conversando comigo e me dizendo que tudo ia mudar… ♥

No dia 06 de março, já passei de freelancer para contratada e de aprendiz para “mão na massa”. Iniciei minha nova trajetória profissional conhecendo a metodologia inbound e recebendo para fazer o que eu mais amava na vida: escrever! Conheci a Cá e depois, a Gabi. Mais tarde, descobri que trabalharia com o meu melhor amigo Léo. O cosmos estava me presenteando demais…
Ainda em março, aproveitei Maresias em um final de semana delícia com meus meninos. Comemoração por tantas coisas boas acontecendo. E não pararam por aí…

Em abril, fomos passear em Embu das Artes. Dava vontade de ficar por lá por horas e horas e horas, mas o calor era grande e a impaciência dos meninos começou a ficar também. Mas me dei de presente um poncho líndio que passei a usar nos dias frios e que paguei baratinho. Tiramos fotos lindas, ouvimos boa música, nos inspiramos com a arte daquele lugar e nos aconchegamos com o principal: estarmos em família.

No dia 8 de abril, durante uma conversa por whatsapp, eu e minhas Malucas decidimos iniciar um projeto chamado Vida Agridoce, para falar sobre os altos e baixos da vida e sobre como há beleza em todo caos cotidiano em que vivemos. O projeto está lá ainda, tomando forma, amadurecendo, mas tenho certeza que em 2018 será um grande prazer falar mais a respeito dele.

Em abril também foi quando saiu o meu primeiro artigo na Soul. Que lindo que foi ver aquele texto nascer, me tirando totalmente da zona de conforto de só falar sobre assuntos emocionais. Foi desafiador e delicioso! O texto foi ao ar enquanto estávamos indo passar o feriado em Santo Antônio do Pinhal, em um lugar maravilhoso chamado “Organyca SPA” – pedacinho de céu neste Brasil. Foi um feriado que trouxe muita energia para nossa família. Uma chance incrível de reconexão.

Em maio, o milagre aconteceu. Soubemos que tínhamos ganhado uma concorrência e que isso possibilitaria trazer o Lu para trabalhar conosco em Atibaia. No dia 22 de maio – auspicioso 22 – foi nosso primeiro dia de trabalho juntos. Tomando café juntos. Levando os meninos para a escola juntos. Almoçando juntos. Buscando os meninos juntos. O Universo realmente havia entendido a minha vibração e realizou o maior dos meus sonhos de vida. Trabalhando novamente e com o Lu comigo e com os meninos, me sentia enfim completa e forte para enfrentar e me dedicar com afinco a todo desafio.

Neste mesmo maio, no dia das mães, passamos eu, minha mãe e minha irmã um dia diferente. Nos demos de presente um dia sem filhos e voltando a ser apenas filhas… e foi maravilhoso conseguir me conectar com as mulheres da minha família. Um passeio e um café no fim do dia foram suficientes para deixar este momento marcado no coração.

Em junho, celebramos o Amor em casa com os casais, além de nosso oitavo aniversário de casamento. Recebemos a Mimas para uma sessão de fotos da Soul, participamos do Charraiá da Bru e do Ro e nos abastecemos da energia da amizade. Foi um mês maravilhoso e cheio de amor quentinho para nos aquecer no frio que chegava.

Em julho, passamos o primeiro final de semana do mês no Recanto da Paz. Além de ter sido um final de semana muito especial, realinhamos estratégias para o semestre que acabava de começar. E ele trazia prosperidade. Neste mês, trocamos de sala na Soul e começamos a crescer muito! Foi lindo de ver toda nossa energia junto ao laranja HubSpot colocado com nossas próprias mãos.

Também em julho, eu e o Lu tivemos a honra de participar de um curso sobre Escrita Criativa com a Ana Holanda, editora-chefe da revista Vida Simples e onde conhecemos pessoas tão diferentes mas com histórias tão maravilhosas e cheias de tanto sentimento que só de ouvir aqueles depoimentos já teria valido a pena. Mas foi muito além…

Como o evento mais importante do mês, celebramos os 3 anos do meu Pequeno-Grande amor Beni, numa festinha simples mas feita pelas nossas próprias mãos que rendeu muita alegria para o meu pequeno. No dia seguinte, fomos com ele pela primeira vez ao cinema assistir “Meu Malvado Favorito”. Foi muito especial! ♥

Em agosto, pude mais uma vez celebrar a vida e a saúde de meu pai e de minha mãe. E também do meu amor. Esses três leoninos que são pra mim pessoas muito especiais e que me ensinam diariamente sobre tolerância, inteligência emocional e sobre amor próprio. Foi uma alegria muito grande poder viver tantos momentos lindos ao lado deles.

Neste mês pudemos também curtir um vale night pra lá de esperado. Foi o casamento do Ro e da Bruna, que começou ás 17h e acabou 00h – ou seja, a perfeita balada para pais. Viramos adolescentes e curtimos muito! Foi uma noite mágica, inesquecível.

Em setembro, começamos o mês visitando Aparecida do Norte para agradecer pela dádiva do viver, pela nossa saúde, pela nossa família e especialmente, pelo milagre de o Lu hoje estar junto de nós. Senti uma energia muito grande aquele dia, inexplicável.

Neste mês trabalhamos. Comooooo trabalhamos! Mas tudo valeu a pena. Cris e Bruno seguiram para Boston com a missão de nos fazer sermos enxergados pela HubSpot e isso aconteceu.

Ganhei uma festa surpresa linda do meu amor da firmaaaa e passamos um final de semana delicioso na praia, onde pude celebrar a entrada dos meus 32 anos com boa energia e na melhor companhia: meus meninos.

Foi em setembro que também mudamos de casa e conseguimos enfim, nos desapegar de muita energia impregnada em tantas coisas quase inutilizáveis que tínhamos. Casa nova, vibração nova. “Menos é mais” virou o lema da vez. 🙂

Celebramos ainda os 4 anos do nosso segundo casamento e fomos jantar no Sakamura para comemorar este dia especial.

E eu comecei o Pilates. ♥

Em outubro, durante o feriado do dia 12, corri para tentar finalizar a minha monografia e depois de um dia intenso de estudos, fui reencontrar minha turma do escoteiro depois de mais de 20 anos de saudade. E parecia que tínhamos nos encontrado ontem. Que sensação maravilhosa!

Ainda no mês 10, inauguramos a churrasqueira de casa com as pessoas mais especiais: meus pais, meus sogros e os tios amados, que sempre nos ajudam tanto no cotidiano. Foi uma tarde deliciosa e de muito carinho e amor compartilhados.

Em novembro, foi a vez de recarregar a energia com os amigos. Foi um churrasco despretensioso que começou ao meio dia e terminou às 10 da noite, com esses que são pessoas tão amadas e queridas e as minhas favoritas: eles já são de casa!

Foi em novembro também que a Cá me emocionou com um porta retrato escrito #familiaequipegentefina. Um presente singelo mas com tanto significado pra nós… bateu no coração!

Também tive em novembro a minha monografia aprovada e comecei a viver a despedida desta loucura que foi o processo de trabalhar, ser esposa, mãe de dois (ou quatro, contando as peludas) e ainda estudante. Com a ajuda e incentivo do Duri, não desisti.

Celebrei os 10 anos do Bom do Amor. ♥

Dezembro chegou, enfim.

Curtimos juntos o dia da família na escola. Finalizei a apresentação da minha monografia. Estudei pra caramba. No dia da defesa em Piracicaba, trocamos de carro. Passei na minha defesa com 9,75 e mal acreditava no que estava acontecendo.

Celebramos um ano muito próspero com a equipe Inbound Show e realizamos o sonho de subirmos pela primeira vez com os meninos na Pedra Grande.

E olha que ainda tem reencontro com a irmã, Natal e Ano Novo pela frente.

Quando paro e penso em quão maravilhosa é a vida e nessas lembranças que fizeram deste um ano pra lá de especial, penso nas alegrias cotidianas escondidas a cada novo giro de 24 horas do relógio.

Este foi um ano em que me senti completa. Viva. Forte.
Pude resgatar minha identidade. Pude voltar a cuidar de mim dividindo os cuidados dos meninos com o Lu. Pude aprender muito no trabalho.
Senti a vida pulsar de maneira tão linda que não há outra coisa senão apenas expressar a minha gratidão.

Enfrentei a efemeridade da vida seguindo a comparação das emoções que sentimos com os céus de todo dia – ora acinzentados, ora com um arco-íris iluminando tudo mesmo com as nuvens carregadas, ora ensolarado como se nada fosse acabar com a nossa paz.

Vivi momentos desafiadores meses antes da minha entrega da pós. Os meninos sentiram muito minha falta mas todos os dias me convencia que todo cansaço e ausência valeria a pena. E valeu.

Tive saúde. Realizei sonhos. Consegui experimentar coisas novas. Visitei novos lugares. Escrevi no blog – e celebrei sua primeira década de existência. Consegui ver as séries que eu queria. Fui menos ao cinema que gostaria. Também saí menos que gostaria. Mas pude criar memórias afetivas com os meus amores aos domingos na casa da vovó ou nas semanas em que tive um help extra. Estive mais um ano – graças a Deus – bem pertinho do acompanhamento do crescimento dos meus meninos. Chorei de cansaço. De exaustão. Chorei ao ver meus filhos brigando. Não tive mais forças para conter as birras. Tive dias horrendos de TPM. Consegui ler 3 livros este ano. Consegui voltar a cuidar de mim. Ri solto com as gracinhas dos meninos. Fiquei brava com a teimosia. Apreciei a dádiva de me sentir “leve” depois de uns drinks a mais.

Fui verdadeira e fiel aos meus sentimentos em 100% de tudo que vivi. E é por isso que me sinto completa: minhas emoções seguem transbordando. Sigo VIVA para conseguir o que realmente fizer meu coração vibrar.

E neste ano tão especial, escolho “A estrada” para ser a minha música do ano.

“A vida ensina e o tempo traz o tom
Pra fazer uma canção
Com a fé no dia a dia 
Encontro a solução…” 

Obrigada, Deusinho. Obrigada pelo merecimento.

Pode chegar, 2018. Venha leve e com muito amor, saúde e prosperidade.
Gratidão pela dádiva de em mais um ano, seguirmos juntos.

Meu beijo,
L.

Publicado em Ano novo - reflexões, desejos de ano novo; ano novo; simples desejo; trilha sonora; justin, Reflexões de ano novo, Vida real

Quase 2018.

cropped-design-sem-nome1.png

Atibaia, 04 de dezembro de 2017.

Ouvindo “Dia Clarear” – Banda do Mar

Quanta intensidade 2017 reservou. Agora que já mergulhei fundo na retrospectiva deste ano, posso reler e sentir de novo cada emoção tão grande deste que foi um dos anos mais intensos e felizes da minha vida.

Eu me lembro muito bem das primeiras semanas de janeiro em um dia de folga com o Lu lá no Capril do Bosque [aliás, que lugar!] onde juntos e tomando um vinho, fiz minha lista de desejos para 2017 – sem sequer imaginar o que destino nos reservava.

Entre coisas cumpridas e outras não, fico imaginando qual será o dia em 2018 onde terei inspiração para refazer esta lista – minha suspeita é que será lá na Pedra Grande, quando eu finalmente subir com meus filhos pela primeira vez e apresentar a eles um dos lugares que mais amo na vida!

O fato é que – com listas ou não – sonhar e é bom demais!

Que 2018 traga mais 365 dias para sonhar e realizar.

Meu beijo,

L.

Publicado em desejos de ano novo; ano novo; simples desejo; trilha sonora; justin

Desejos de Ano Novo.

Atibaia, 05 de janeiro de 2015 
Quando paramos todo fim de ano, ainda que seja por pequenos minutos, e mentalizamos o que gostaríamos de realizar no ano que está nascendo, será que pedimos o que é palpável, material ou será que damos mais valor ao que é intangível? No meu caso, muito mais o que é intangível. Ao menos para 2015. 
Das coisas que o dinheiro pode comprar, estão em minha lista:

  • Iniciar a pós em Psicopedagogia
  • Viajar de dois em dois meses com minha família
  • Fazer uma festa julina de 1 ano para o Beni
  • Comemorar meus 30 anos com uma festa cercada por quem amo e quero bem
Tirando a pós, não importa se a viagem for pra perto ou pra longe, se a grana para os aniversários me permitir contratar um buffet ou fazer comidinhas simples e em conta, o que importa é o sentimento envolvido, é o carinho das pessoas, é o momento de estar com a minha família, é a sensação que fará meu coração vibrar mais forte! 
Meu maior desejo em 2015 é precisar de menos matéria, ser mais desapegada, mas me apegar mesmo a quem eu prezo, passar mais tempo com os amigos, não importa se em baladas, restaurantes ou em casa mesmo, jogados no sofá e no chão rindo pra caramba da comédia que está passando na TV. 
Desejo, desejo muito, de verdade, que toda minha família tenha saúde em primeiro lugar, disposição e alegria para agradecer a cada novo dia uma nova chance de ir atrás do que é verdadeiramente importante para o estilo de vida de cada um. Desejo que em meu tempo livre eu leia ou escreva mais e me desligue de redes sociais e dependências. Quero esquecer um pouco dos smartphones
Quero manter meu diálogo com Deus, independentemente de estar no Centro ou na Igreja. Quero que a minha conexão com a espiritualidade esteja cada vez mais forte. Que eu siga meus propósitos e o que eu acredito mesmo que todos ao meu redor tentem me convencer a ir por outros caminhos. Desejo do fundo da alma que eu consiga enxergar beleza, leveza e aprendizado em cada situação desafiadora que eu tenha que enfrentar neste novo ano. Desejo muito descobrir novas coisas para me apaixonar: uma nova música, um novo filme, um novo autor, uma nova expressão, uma nova cultura, um novo curso, um novo horizonte, uma nova possibilidade. E que eu sempre me sinta plena dentro desta simplicidade que escolhi para preencher minh’alma, meus dias, a vivência com a minha família. 
E, por conta de toda transformação interna que aconteceu em mim depois do nascimento do Beni, e toda transformação que meu casamento tem passado, eis a minha trilha sonora de 2014:
Simplesmesnte adorável!! 
Que seja um incrível ano para todos nós. 
Meu beijo, 
L.