ao meu amor.

e que o nosso amor continue com essa pureza divina, vinda de outros mundos, de outras dimensões; e que os nossos melhores momentos sejam mesmo só nossos, e que o “acender da luz” nunca perca a graça, nem o jeito que você me fala das “dobrinhas”, nem o “narizinho”, nem o “cheirinho no cangote”, nem os meus xiliques quando você me aperta tanto a ponto de eu achar que alguma costela foi danificada, nem a sua maneira de me convencer de tudo, nem a minha de às vezes simplesmente querer não falar mais sobre o assunto. que as nossas deliciosas divergências sejam, no fim das contas, sinal de que nos completamos assim, e que, como Calvin Trillin nos ensinou, que consigamos transformá-las em pura admiração, porque são elas que fazem com que exista a troca entre nós, e disso não abro mão nunca!

delícia de vida esta que vivo ao seu lado.

meu amor, eu te amo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.