1 TED Talk por dia…

Atibaia, 07 de janeiro de 2022.

Ouvindo “No compasso do criador”, Katinguelê (amo essa música!)

Prometi pra mim mesma que seria mais gentil com minhas metas neste ano.
Ao invés de filmes completos, me comprometi a assistir a 1 TED Talk por dia.
Nesta primeira semana, deu certo.

Quero deixar aqui os títulos que escolhi e quais me impactaram mais:

  1. Are you a giver or a taker? (Adam Grant)

    Em todo local de trabalho, existem três tipos básicos de pessoas: doadores, receptores e os que combinam ambos. O psicólogo organizacional Adam Grant analisa essas personalidades e oferece estratégias simples para promover uma cultura de generosidade e impedir que os funcionários egoístas recebam mais que o que merecem.

    Você pode assistir aqui.

  2. The value of kindness at work (James Rhee)

    A gentileza pode ajudar muito quando se trata de remodelar um negócio. Depois de salvar uma empresa de moda da beira da falência, o empresário James Rhee compartilha o valor de investir em uma cultura de compaixão no trabalho – e mostra por que todos devemos liderar com o coração.

    Você pode assistir aqui.

  3. O poder dos introvertidos (Susan Cain)

    Em uma cultura em que ser social e extrovertido são valorizados acima de tudo, pode ser difícil, até mesmo vergonhoso, ser introvertido. Mas, como Susan Cain argumenta nesta palestra apaixonada, os introvertidos trazem talentos e habilidades extraordinárias para o mundo e devem ser encorajados e celebrados.

    Você pode assistir aqui.

  4. Como a linguagem modela nossa forma de pensar? (Lera Boroditsky)

    Existem cerca de 7.000 idiomas falados em todo o mundo – e todos eles têm diferentes sons, vocabulários e estruturas. Mas eles moldam a maneira como pensamos? A cientista cognitiva Lera Boroditsky compartilha exemplos de linguagem que sugerem que a resposta é um sonoro sim. “A beleza da diversidade linguística é que ela nos revela o quão engenhosa e flexível é a mente humana”, diz Boroditsky. “As mentes humanas não inventaram um universo cognitivo, mas 7.000.”

    Você pode assistir aqui.

  5. Por que devemos definir nossos medos e não nossas metas? (Tim Ferris)

    As escolhas difíceis – o que mais tememos fazer, perguntar, dizer – muitas vezes são exatamente o que precisamos fazer. Como podemos superar a autoparalisia e agir? Tim Ferriss nos encoraja a ter uma visão completa e escrever nossos medos em detalhes, em um exercício simples, mas poderoso, que ele chama de “definição do medo”. Saiba mais sobre como essa prática pode ajudá-lo a ter sucesso em ambientes de alto estresse e separar o que você pode controlar do que não pode.

    Você pode assistir aqui.

  6. O dom e o poder da coragem emocional (Susan David)

    A psicóloga Susan David compartilha como a maneira como lidamos com nossas emoções molda tudo o que importa: nossas ações, carreiras, relacionamentos, saúde e felicidade. Nesta palestra profundamente comovente, humorística e potencialmente transformadora, ela desafia uma cultura que valoriza a positividade sobre a verdade emocional e discute as estratégias poderosas de agilidade emocional. Uma conversa para compartilhar.

    Você pode assistir aqui.

  7. Desista das redes sociais (Cal Newport)

    Abandonar as redes sociais faz de você um erudita desempregado? O cientista da computação Dr. Cal Newport não pensa assim. Nesta palestra reveladora, ele desmascara três objeções comumente apresentadas como justificativa para manter aquela conta tão importante nas redes.

    Você pode assistir aqui.


É importante ressaltar que esta última data de 2016. Concordo bastante com tudo que Cal trouxe, e realmente é assustador pensar que os engenheiros criam tudo para nos tornar cada vez mais viciados e obter cada vez mais informações sobre nós. Em 2022, muita coisa mudou nos algoritmos, muito mais redes sociais surgiram e hoje muitas empresas utilizam as mídias muito mais que apenas como entretenimento, mas como geração de negócio. Mas o que mais me deixou intrigada neste TED Talk foi a frase: “Como temos restaurado nossa energia?”

Isso é algo que há algum tempo escrevo por aqui vez ou outra. A refletir…

Meus 2 favoritos e que me fizeram pensar bastante foram especialmente o do Tim Ferris e seus estudos sobre estoicismo, Seneca e o PREMEDITATIO MALORUM no “Por que devemos definir nossos medos e não nossas metas” e o TOP 1 é o da Susan David – “O dom e o poder da coragem emocional”. Sem dúvida foi o que mais mexeu comigo. Deixo algumas pílulas que achei super interessantes:

Quando rejeitamos emoções normais em favor da falsa positividade, deixamos de desenvolver competências para lidar com o mundo como ele é. Emoções difíceis fazem parte do nosso contrato com a vida!

A aceitação incondicional das nossas emoções, sem exceção, incluindo as complicadas e difíceis é o pilar da resiliência, do crescimento e da autêntica e verdadeira felicidade.

Trate suas emoções como sua principal fonte de dados interna.

SAWUBONA!

Meu beijo,
L.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Comece um blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: